quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Vivências de linguagem.

     Quando iniciei a trabalhar com assentados, primeiramente no assentamento do Basílio, no município de Herval-RS, em 1998 e depois em 2006, no município de Pedras Altas-RS, minha maior dificuldade era na comunicação, pois a maneira de falar e como se referiam algumas palavras é completamente diferente da nossa região Sul = fronteira com o Uruguai.
      Minha irmã caçula, também professora, fez um dicionário ilustrado para que pudessemos ter referência das coisas.
       Exemplos:
       - rastilho =  ancinho
       - avio     =   isqueiro
       - foscri   =   fósforo
       - aboti    =  eu coloque, botei
       - tombi noca = combi nossa
       O último exemplo é de uma menina com problemas gravíssimos de dicção, onde todos na família falam dessa maneira, inclusive consultava fonoaudiólogos mensalmente.
        Este ano, na escola em que eu trabalho me deparei com dois alunos que estão na 5ª série, os quais falam com a língua presa e escrevem do mesmo modo, os mesmos têm um grau de parentesco, são primos.
        Esta experiência foi vivênciada por mim Claúdia Pereira.

4 comentários:

  1. Com certeza, a linguagem de diferentes regiões é espantosa, assim como as colegas também trabalhei com alunos de assentamento, várias vezes me deparei situações inusitadas , tinha momentos em que não sabia como lidar, então, recorria a diretora da escola, pois a mesma também era da mesma região que os alunos, no entanto, dominava a linguagem dos mesmos. Era a minha salvação!
    Rozangila

    ResponderExcluir
  2. É a linguagem de cada região realmente nos espanta ou causa surpresas, comigo não foi diferente, porém no meu caso senti muita vergonha ao trabalhar numa farmácia e chegou um cliente pedindo "aquilo de curá taio". Perguntei umas três vezes o que o cliente queria, pedi desculpas, senti calor no rosto, acredito que já estava roxa de vergonha, até que disse ao cliente que ele procurasse e me mostrasse o que ele queria.
    acredita que era nada mais, nada menos que um par de Bandaid, curativos para pequenos cortes.
    Traduzindo: taio = pequeno corte.
    Põe saia justa!
    Deise Graciela

    ResponderExcluir